Dia 19 de Janeiro de 2006 foi lançada a sonda New Horizons, rumo ao então planeta Plutão. Mais tarde, no mesmo ano, Plutão mudou de classificação e passou a ser planeta anão. Isso fez com que a New Horizons tenha tido a curiosa situação de sair para um lugar (um planeta) chegando em outro (um planeta anão) sendo que esse outro era o mesmo lugar para onde ela ia quando saiu (leia mais aqui)…

Dia, 13 de Julho (2015), a sonda capturou as primeiras imagens de seu sobrevoo do planeta anão, a cerca de 12.500 Km de altura, sua máxima aproximação. A imagem ficou famosa por mostrar um “coração de Plutão”.

Imagem de Plutão tomada pela sonda New Horizons a uma distância de 12.500 Km.

Imagem de Plutão tomada pela sonda New Horizons a uma distância de 12.500 Km (Crédito: NASA).

 

As sondas espaciais ajudaram a conhecermos com muito maior precisão os tamanhos e massas de planetas, como aconteceu com a Voyager mostrando que Netuno era menos massivo do que se supunha, acabando de vez com a busca pelo famoso Planeta X. Dessa vez, a New Horizons mostrou que Plutão é 80 Km maior do que se especulava, tendo um diâmetro de 2.370 Km. A discussão sobre sua mudança de classificação, que o fez deixar de ser planeta, ganhou tremenda força com a descoberta de Éris, um objeto que era maior que Plutão… era, porque agora a New Horizons nos mostra que Plutão é maior que Éris (leia mais aqui)!.

A sonda carrega as cinza do descobridor de Plutão, o astrônomo Clyde Tombaugh, mais um sepultado no espaço como Gene Shoemaker, descobridor, entre outros, do cometa cuja colisão com Júpiter foi amplamente observada em 1994.

A sonda New Horizons ainda irá coletar dados sobre Plutão e seus cinco satélites. Depois disso deve visitar um ou dois objetos do Cinturão de Kuiper quando terminará sua missão.

Depois de ter sido notícia e ter sua mudança de classificação recebida por muitos como um “rebaixamento”, o que é muito incorreto, Plutão volta a ser atração. O pequeno, distante e frio objeto ainda tem coisas a ensinar sobre a formação do Sistema Solar e certamente a New Horizons vai contar muita história. Fiquemos gelados… Ou melhor, ligados!