Veja uma tabela com a agenda de algumas chuvas de meteoros conhecidas. Programe-se com antecedência, porque é sempre um belíssimo espetáculo! Depois da tabela segue uma explicação sobre esse que é um dos mais belos fenômenos astronômicos.

 

Nome da Chuva Máximo (aprox.) Constelação do radiante Quantidade por hora (média) Cometa associado
Quadrantídeas 3 janeiro Boötes 100 C/1490 Y1 ou C/1385 U1
Lirídeas 22 abril Lira 10 Thatcher
Pi-Puppídeas 23 de abril Puppis 5 26P/Grigg-Skjellerup
eta-Aquáridas 4-6 maio Aquário 20 Halley
Camelopardalídeas 24 maio Girafa 20 209P/LINEAR
Arietídeas 7 junho Áries 60 96P/Machholz e grupos Marsden e Kracht
Bootídeas de Juno 28 junho Boötes 2 Pons-Winnecke
delta-Aquáridas 29 julho Aquário 20 96P/Machholz e grupos Marsden e Kracht
Alfa Capricornídeas 1 agosto Capricórnio 5 169P/NEAT
Perseídeas 12 agosto Perseu 80 Swift-Tuttle
Kappa Cignídeas 18 agosto Cisne 5 2008 ED69 (asteroide)
Alfa-Aurigídeas 1 setembro Auriga 10 C/1911 N1 (Kiess)
Draconídeas 8 outubro Draco 500 21P/Giacobini-Zinner
Oriônidas 20-22 outubro Órion 25 Halley
Taurídeas Australis 5 novembro Touro 15 Enke
Taurídeas Borealis 8 novembro Touro 15 2004 TG10 (asteroides) e outros
Andromedíades 9 novembro Andrômeda 3 3D/Biela
Leonídeas 16-18 novembro Leão 15 Temple-Tuttle
Alfa-Monocerotídeas 21-22 novembro Monoceros 5 ?
Foenicídeas 5 dezembro Fênix 5 289P/Blanpain
Gemínidas 12-15 dezembro Gêmeos 75 Phaeton (asteroide)
Ursídeas 22 dezembro Ursa Menor 10 8P/Tuttle

 

As chuvas de meteoros acontecem quando a Terra cruza o rastro deixado por um cometa ou alguns asteroides.

Ao se aproximarem do Sol, os cometas liberam parte do seu material volátil, criando as estruturas conhecidas como coma e cauda. No processo de evaporação, partículas sólidas também se desprendem do núcleo e ficam pelo caminho. Quanto a Terra atravessa esse rastro deixado pelo cometa, as partículas sólidas deixadas para trás entram na atmosfera, e produzem o belíssimo fenômeno das chuvas de meteoros. Existem também chuvas de meteoros provocadas por material deixado no espaço por asteroides. São casos raros, mas acontecem. Asteroides que sofreram colisão, ou corpos que já foram cometas, mas perderam seu material volátil, também podem deixar um rastro de partículas sólidas.

Uma vez que a órbita da Terra é muito bem conhecida e as órbitas de muitos cometas e asteroides também, é possível prever quando uma chuva de meteoro vai acontecer. Não conseguimos, entretanto, prever com exatidão se teremos muitos ou poucos meteoros em uma chuva.

Em cada chuva, existe um ponto do céu de onde parecem estar surgindo todos os meteoros. Esse ponto chama-se radiante, e cada chuva é batizada de acordo com o nome da constelação onde se localiza seu radiante.