Foto de 4179 Toutatis, pela sonda chinesa Chang'e 2.

Foto de 4179 Toutatis, pela sonda chinesa Chang’e 2.

Estamos tão acostumados a ouvir sobre os sucessos astronômicos e astronáuticos do ocidente, que esquecemos que lá onde nasce o Sol também tem muita gente boa trabalhando. Há alguns anos, a China anunciou que pretendia levar seus primeiros astronautas à Lua. Muita gente esqueceu esse anúncio porque as notícias vinda daquele país, e de outros, não circulam com a mesma facilidade entre nós que as notícias vindas do mainstream.

A sonda chinesa Chang’e 2 foi lançada em outubro de 2010, como parte do Programa Chinês de Exploração da Lua, CLEP (da sigla, em inglês de Chinese Lunar Exploration Program). Ela sobrevoou a superfície da Lua a uma altura de 100 Km, coletando dados para missões futuras.

Localização do ponto L2 relativo a Sol-Terra (fonte: spacetelescope.org)

Depois dessa primeira parte de suas atividades, a sonda foi deslocada para um ponto especialmente interessante, denominado segundo ponto de Lagrange, ou, simplesmente L2, do sistema Sol-Terra. Esse ponto localiza-se a cerca de 1,5 milhões de quilômetros da Terra (bem além da órbita da Lua, que possui raio de cerca de 300 mil quilômetros). Um objeto posto em órbita no ponto L2 do sistema Sol-Terra mantém sua posição relativa ao Sol e à Terra, por isso essa região é gravitacionalmente atraente (piada pleonástica científica), especialmente para telescópios espaciais. Os telescópios espaciais Hershecl e Plank estão localizados nesse ponto.

Em abril de 2012 a Chang’e 2 deixou  o segundo ponto de Lagrange do sistema Sol-Terra em direção ao asteroide 4179 Toutatis e, em Dezembro desse mesmo ano, o sobrevoou a uma distância de apenas 3,2 Km. As fotos obtidas do asteroide são muito interessantes.

Sequência de fotos de 4179 Toutatis, pela sonda chinesa Chang'e 2.

Sequência de fotos de 4179 Toutatis, pela sonda chinesa Chang’e 2.

Imagens de 4179 Toutatis de 1992, do Jet Propulsion Laboratory (fonte: JPL)

As fotos mais antigas obtidas desse asteroide nem se comparam em termos de qualidade.Mais interessante que as belíssimas fotos obtidas pela sonda Chang’e 2, é saber que o Programa Chinês de Exploração Lunar está ativo e a todo vapor. Caso isso realmente gere, como fruto, uma missão tripulada chinesa à Lua, isso terá um significado muito interessante na história da exploração espacial.

É muito provável que tenhamos na Lua, duas bandeiras, a americana e a chinesa. Um país capitalista e um país comunista. Isso é bastante familiar aos que já leram sobre a Guerra Fria.

Depois que essas duas bandeiras estiverem fincadas na Lua, e o solo de nosso satélite não for mais exclusividade americana, e também possuir pegadas de chineses, muitos conservadores e defensores do capitalismo selvagem vão virar bicho nas noites de Lua cheia.