James Russel Lowell, poeta americano do final do século 19, nunca esteve tão certo. A citação acima expressa um pensamento que deveria ser seguido por todas as pessoas, e principalmente os cientistas. Digo isto por causa das últimas informações sobre a possível constatação do modelo inflacionário com a presença de um indicador na Radiação Cósmica de Fundo.

(Leia sobre isso em Polarização da Radiação Cósmica de Fundo e em Detecção Indireta de Ondas Gravitacionais)

No dia 17 de março de 2014, foi anunciado ao mundo estes indícios. Corroborando a teoria inflacionária do Big-Bang, a polarização observada na radiação cósmica de fundo ajusta-se muito bem ao previsto caso tenha sido provocada por ondas gravitacionais geradas antes que houvesse o desacoplamento entre matéria e energia. Sem o descoplamento, o Universo era totalmente opaco e não era possível observar-se em nenhum comprimento de onda.

No dia 19 de junho, estas afirmações continuaram mas os pesquisadores disseram que uma possível contaminação nos dados observacionais da Radiação Cósmica de Fundo, provocada pela poeira da Via Láctea, pode ter ocorrido, levando a erro na sua interpretação.

ondas-gravitacionais-animacao

Representação da formação e propagação de ondas gravitacionais (Fonte).

Como afirma John Kovac, do Harvard-Smithsonian Center of Astrophysics, autor da descoberta: “A principal descoberta não foi alterada; nós temos grande confiança nos nossos resultados”. Porém, o grupo de pesquisadores publicou no periódico científico “Physical Review Letters” um artigo reconhecendo a possível influência da poeira galáctica em seus dados.

Dentro de algumas semanas teremos algumas resposta graças às observações feitas pelo telescópio Planck. Assim que confirmadas ou não as suspeitas iremos divulgar para os nossos leitores.

Radiação Cósmica de Fundo.

Radiação Cósmica de Fundo.