O tema é atual e contagia mentes voltadas à vida extraterrestre. O número de planetas orbitando outras estrelas não pára de crescer. Já são mais de 3.000 e dentre eles 68 do tamanho da Terra que estão na zona habitável. E isto somente em nossas vizinhanças. Uma nova geração de radiotelescópios utilizando sofisticadas tecnologias, estuda o Universo e a possibilidade de detectar sinais de civilizações extraterrestres.

flamarionO primeiro a especular sobre a existência de um universo infinito, sem limites, com sóis ao redor do qual giravam planetas que deveriam ser habitados, foi o filosofo italiano Giordano Bruno (1550-1600) em seu livro “Del Infinito, Universo e Mondi” (Do Infinito, do Universo e dos Mundos). Essas idéias não agradou a Igreja e a Inquisição por falta de retratação acabou condenando-o à fogueira o que aconteceu em Roma no Campo di Fiori no dia 9 de fevereiro de 1600. Em seguida em 1686 foi a vez de Bernard Le Bovier de Fontenelle (1657-1757), poeta, romancista e filósofo francês em seu livro “Entretetiens sur la Pluralité des Mondes”(Diálogos sobre a Pluralidade dos Mundos) escrever de estar convencido de que os céus estão cheios de mundos habitados.

O maior impacto contudo sobre o tema viria em 1861. Com apenas 19 anos, o astrônomo francês Camille Flammarion (1842-1925) durante sua estada no Observatório de Paris, empreendeu a difícil tarefa de abordar a questão da vida em outros planetas. Seu livro “La Pluralité des Mondes Habités” (A Pluralidade dos Mundos Habitados) foi publicado no ano seguinte pela editora Mallet-Bechelier. O livro provocou acirradas discussões na maioria das pessoas embevecidas com a idéia da Terra ser um planeta especial, centro da criação, único a abrigar vida. Contudo entre celebridades como Victor Hugo (1802-1885) o livro foi bem recebido. Em 1864 a primeira edição esgotou. Uma após uma as edições não paravam. Meu exemplar de 1921 já era a 30ª edição ! Este ano assinala pois 152 anos da primeira edição do livro de Flammarion.

EXOPLANETAS

Em algum momento, quando você olha para as estrelas, não teria pensado que em algumas delas pode haver um planeta que também estará pensando em você : será que há alguém olhando para mim?

Concepção artística do sistema planetário da estrela HD10180 (http://www.eso.org/public/images/eso1035a/)

Concepção artística do sistema planetário da estrela HD10180 (Crédito: ESO)

O que outrora parecia ser um privilégio do Sol, hoje já é aceito que a maioria das estrelas possuem planetas ao seu redor. Seria pois uma enorme presunção pensar ainda que somos a única civilização existente na imensidão cósmica. Os cientistas acreditam que pode haver civilizações lá fora e que já chegaram a um estágio de desenvolvimento suficiente para emitir ondas de rádio. Apesar de um tempo extremamente longo para as ondas de rádio varrer o espaço, os cientistas acreditam que nos próximos 25 anos estaremos recebendo a tão aguardada mensagem : também estamos aqui!

Para isto um novo radiotelescópio, o maior móvel do mundo no Estado da Virginia, EEUU, está empenhado em ouvir atentamente 68 planetas selecionados pelo programa SETI ( sigla em inglês da busca inteligente fora da Terra) dentre os 1235 até agora mapeados pelo telescópio espacial KEPLER. Outro radiotelescópio, o “Robert C. Byrd Green Bank”, é capaz de analisar 300 vezes mais freqüências de rádio do que seu rival em Arecibo, Porto Rico, palco do filme “Contato” de 1997 baseado no livro de Carl Sagan. A isto soma-se o maior radiotelescópio imóvel do mundo, o “Ratan-600 na Rússia com uma antena circular de 576 metros de diâmetro ! Contudo “o maior ouvido” da humanidade é o projeto ALMA da comunidade européia que está sendo instalado no Chile, em Chajnantor, a 5 mil metros de altitude. Serão 66 antenas de 12 metros de diâmetro que irá pesquisar o universo com uma penetração , precisão e poder incalculável!

É estranho que tudo isto esteja acontecendo e ainda existam multidões que acreditam ser seu planeta o mais importante de todos, centro da criação e que vivenciamos a época mais importante de todas. Doces ilusões de crianças que acariciam suas bonecas… Nossos antepassados acreditavam a mesma coisa e o que restou de suas conquistas, seus impérios , seus monumentos e palácios ? Acrescente-se a isso que o universo está pouco ligando pelo que acontece aqui. A astronomia está reverenciando Giordano Bruno, Bernard Le Bovier de Fontenelle e Camille Flammarion. Três nomes, três mentes que avançaram no tempo enfrentando altivamente dogmas, incredulidade e preconceitos. Estamos no limiar de descobertas extraordinárias e outras passiveis de abalar os alicerces da estrutura filosófica criada pelo homem. Quem viver verá !