NWA 1934 (http://www4.nau.edu/meteorite/Meteorite/Images/NWA1934-CV3small.jpg)

Uma equipe de geólogos da Universidade da Cidade de Nova Iorque (City University of New York, CUNY) e do Museu Americano de História Natural (American Museum of Natural History) descobriu um mineral que é anterior à formação da Terra nos restos de um meteorito achado no norte da África.

A krotita (esse é o nome do mineral) é o principal componente do meteorito NWA 1934. trata-se de uma mistura refratária de Cálcio e Alumínio muito esquisita. O termo refratária aplica-se ao fato de que os grãos que contém esse mineral permanecem estáveis a temperaturas muito altas. Isso é a prova da antiguidade do mineral, pois deve ter sido formado na condensação quente na nebulosa solar primitiva. Isto aconteceu há uns 4.5 bilhões de anos.

Se quizermos fabricar esse mineral artificialmente é preciso atingir temperaturas de 1500º C e condições de pressão muito baixas. É por esse fato que os astrônomos e mineralogistas acreditam que só pede ter sido formado nas fases iniciais da nebulosa solar, prévio à formação dos planetas.

Esse mineral achou-se como num grão que pela sua apariência foi denominado “ovo quebrado”. Uma amostra foi enviada ao Insituto de Tecnologia da California (California Institute of Technology, Caltech) para determinar com exatidão seus componentes químicos. Depois, foi estudado por raios X no Museu de Historia Natural de Los Angeles (Natural History Museum, Losangeles) onde seus comoponentes foram confirmados num óxido CaAl2O4.

Isto é um resumo do artigo publicado no American Mineralogist.