Foi anunciado durante a 223a reunião da Sociedade Americana de Astronomia, que ocorreu de 5 a 9 de Janeiro de 2014 em Washington, Estados Unidos, um trabalho de determinação de distâncias entre galáxias com uma precisão sem precedente.

As medições foram feitas com oscilações acústicas de bárions, ou BAO (sigla do inglês baryon acoustic oscillations), que são flutuações regulares na densidade de matéria visível do Universo.

Os BAO’s formam uma espécie de régua cósmica bastante precisa. cada divisão dessa régua, no Universo atual, tem cerca de 490 milhões de anos-luz. Ou seja, funcionam como marcos dessa distância, que equivale a cerca de meio bilhão de anos-luz.

A grande importância de se medir com precisão como as distâncias entre galáxias variaram ao longo da história do Universo é conhecer o comportamento da energia escura, a misteriosa responsável pela expansão acelerada do Universo. No Universo primordial, os sinais de BAO são determinados pelas imagens da radiação cósmica de fundo, e no Universo atual pelas observações de aglomerados de galáxias. A comparação entre as distâncias no espaço em diferentes épocas nos mostra a uma medida real do comportamento do Universo devido a expansão.

O trabalho foi realizado com dados do survey BOSS (do inglês, Baryon Oscillation Spectroscopic Survey).

Leia Mais:

Notícia na BBC Brasil (em português): http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/01/140109_medida_universo_mv.shtml

223a reunião da Sociedade Americana de Astronomia (em inglês): http://aas.org/meetings/223rd-aas-meeting-washington-dc

Baryon Oscillation Survey – BOSS (em inglês): http://cosmology.lbl.gov/BOSS/

NASA's Galaxy Evolution Explorer found a tail behind a galaxy called IC 3418.

Determinar como as distâncias entre as galáxias variaram com o tempo é fundamental para comprendermos a Energia Escura.