Quase contornando o Cruzeiro do Sul, encontra-se a constelação do Centauro. Nessas duas constelações encontramos dois objetos notáveis por sua beleza e pela quantidade de informações que podem nos dar sobre evolução estelar e sobre a evolução de nossa Galáxia. São dois aglomerados estelares.

Os aglomerados são conjuntos de estrelas que se mantêm juntas por atração gravitacional. Podem ser de dois tipos: aglomerados globulares e aglomerados abertos.

Caixinha de Jóias, NGC 4755 (imagem ESO, VLT, FORS1)
Caixinha de Jóias, NGC 4755 (crédito: ESO, VLT, FORS1)

Nas proximidades da estrela que marca a extremidade do braço direito do Cruzeiro do Sul, um pequeno binóculo ou uma luneta simples nos permite observar o aglomerado aberto catalogado como NGC 4755, mas que também atende pelo simpático nome de Caixinha de Jóias. O aglomerado recebeu esse nome popular porque é fácil perceber as cores bastante diferentes de suas estrelas.

As estrelas de um aglomerado aberto nasceram de uma mesma nebulosa original. Mas nem por isso evoluíram da mesma maneira, como nos indica a variedade de cores da Caixinha de Jóias. A cor de uma estrela está associada a sua temperatura: mais quentes são mais azuladas e mais frias são mais avermelhadas.

Assim, temos não só um belo conjunto colorido de estrelas para observar, mas, principalmente, um conjunto de estrelas que pode nos dar muitas informações sobre evolução estelar. Essas estrelas em diferentes estágios de evolução têm a mesma idade e nasceram com composições químicas idênticas (afinal, nasceram da mesma nebulosa). Presume-se que apenas as massas fossem diferentes no início. Dessa forma, com estrelas de um conjunto como esse, podemos estudar como a massa inicial interfere na evolução de uma estrela. Sabemos hoje que estrelas mais massivas evoluem mais rápido, ou seja, vivem menos que estrelas de menos massa.

Num aglomerado aberto as estrelas encontram-se espalhadas desordenadamente, e são estrelas bastante jovens. As estrelas da Caixinha de Jóias têm apenas pouco mais de sete milhões de anos – verdadeiros bebês em escala de tempo astronômico.

Omega Centauri, NGC 5139 (Imagem ESO, WFI)
Omega Centauri, NGC 5139 (crédito: ESO, WFI)

Ali bem próximo na esfera celeste, na constelação do Centauro, está um outro aglomerado bastante diferente da Caixinha de Jóias. É o NGC 5139, também conhecido como Omega Centauri. Esse é um aglomerado globular que podemos ver a olho nu em um local com céu bem escuro, afastado de qualquer grande cidade. Omega Centauri aparece como uma pequena mancha esbranquiçada no céu.

Os aglomerados globulares possuem bem mais estrelas que os aglomerados abertos. As suas estrelas são as mais antigas da Galáxia e estão mais fortemente ligadas gravitacionalmente que as dos aglomerados abertos. Nos aglomerados globulares, as estrelas distribuem-se esfericamente, criando o aspecto de globo.

Não existem muitos aglomerados globulares em nossa Galáxia: conhecemos cerca de 150 deles enquanto conhecemos mais de mil aglomerados abertos. Os aglomerados globulares estão distribuídos pela região conhecida como halo galáctico. Não sabemos bem como esses aglomerados se formaram, mas sabemos que sua distribuição peculiar pela Galáxia está relacionada com a formação da própria Galáxia.

Enquanto a Caixinha de Jóias é um bebê astronômico, Omega Centauri é bem mais crescidinho, com cerca de 12 bilhões de anos. Dois objetos bonitos de se observar e, como muitos astros em nosso Universo, cheios de segredos para descobrirmos.

Publicado por Leandro L S Guedes

Sou Astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro, faço doutorado no curso de História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia, pela UFRJ, e nesse ano de 2013 estou passando alguns meses na Universidade de Notre Dame, EUA. Tenho interesses em: Astronomia, História, Epistemologia, Filosofia da Ciência.

4 respostas em “Aglomerados”

  1. Boa Tarde
    Leandro,Meu nome é Victor Goiano e amo astronomia,porem indo mais para o lado da observação mesmo rsrs sou bem fraquinho em matemática e física.Achei este blog na internet e é maravilhoso,com muito conteúdo e vasta quantidade de informação,esta de parabéns. Tenho alguns telescópios bem humildes,sendo eles um refrator de 70 mm e o outro um refletor de 130mm. Estou utilizando uma técnica nova que gostaria muito de compartilhar,que é o astrovideo; técnica famosa fora país.Consiste em utilizar uma câmera de segurança e filmar aglomerados,nebulosas e planetas,porem o foco é em DSO mesmo.Qualquer câmera CCTV com boa sensibilidade é indicada.Deixei alguns videos no youtube,basta somente procurar videos relacionados com meu nome.Abraços.

    1. Olá, Victor!

      Muito obrigado por sua mensagem! Fico extremamente feliz de ver alguém utilizando essa técnica no Brasil! E Parabéns, suas imagens e a forma como você as compõe são excelentes!!

      Em primeiro lugar, vejo que seu trabalho é um grande exemplo de como podemos fazer coisas boas em astronomia sem equipamentos necessariamente muito caros. Isso, sem dúvida, pode animar bastante muitos amantes da astronomia no Brasil a também expandirem suas atividades e terem ainda mais satisfação com isso. Em segundo lugar, você utiliza equipamento relativamente fácil de ser encontrado no país, o que é um outro fator importante para tornar a atividade acessível a muita gente.

      Já assinei seu canal do Youtube!

      Tenho certeza que suas imagens e seu ensinamento sobre a tecnica podem servir de inspiração a muita gente. Gostaia muito que você escrevesse um post sobre isso, falando sobre a técnica, os equipamentos, e mostrando seus videos. Seria interessante também falar sobre o que te inspirou… Topa?? 🙂

      Forte Abraço!

  2. Esse universo me enche de curiosidades….
    E esse blog e um verdadeiro ACHADO, prato cheio e delicioso de se degustar, que sacia toda a minha fome de conhecimento nessa area celestial….

    EU QUERO UMA CAIXINHA DE JOIAS ASSIM PRA MIM, URGENTE, IGUALZINHA pra eu colocar no teto do meu quarto e viajar nela todas as noites, todas elas…
    MAIS VALIOSA QUE QQ DIAMANTE E MAIS BONITA PRA MIM.

    Adorandoooo, bjs suzie

Os comentários estão desativados.

Copyright © 2009 - 2019 Astronomia.Blog.Br. All Rights Reserved. Created by Blog Copyright.