Quando Acontecem as Chuvas de Meteoros?

As chuvas de meteoros acontecem quando a Terra cruza o rastro deixado por um cometa ou asteroide. Ao se aproximarem do Sol, os cometas liberam parte do seu material volátil, criando as estruturas conhecidas como coma e cauda. No processo de evaporação, partículas sólidas também se desprendem do núcleo e ficam pelo caminho. Quanto a Terra atravessa esse rastro deixado pelo cometa, as partículas sólidas deixadas para trás entram na atmosfera, e produzem o belíssimo fenômeno das chuvas de meteoros.

Meteoro notável durante Leonídeas em 2001 (Fonte: http://antwrp.gsfc.nasa.gov/apod/ap050812.html; Créditos: D. Polishook, N. Brosch – http://wise-obs.tau.ac.il/institute.html#noah, & I. Manulis (Tel-Aviv U. – http://minerva.tau.ac.il/, Wise Obs. – http://wise-obs.tau.ac.il/ ), e Spacegaurd Israel -http://spaceguard.tau.ac.il/ )

Nem todas as chuvas de meteoros são associadas a cometas. Existem também as provocadas por material deixado no espaço por asteroides. São casos raros, mas acontecem. Asteroides que sofreram colisão, ou corpos que já foram cometas, mas perderam seu material volátil, também podem deixar um rastro de partículas sólidas.

Uma vez que a órbita da Terra é muito bem conhecida e as órbitas de muitos cometas e asteroides também, é possível prever quando uma chuva de meteoro vai acontecer. Não conseguimos, entretanto, prever com exatidão se teremos muitos ou poucos meteoros em uma chuva.

Em cada chuva, existe um ponto do céu de onde parecem estar surgindo todos os meteoros. Esse ponto chama-se radiante, e cada chuva é batizada de acordo com o nome da constelação onde se localiza seu radiante.

Quando falamos em meteoro, é sempre bom lembrar que a palavra se refere ao fenômeno atmosférico produzido pelo corpo que entrou na atmosfera. Não é o corpo em si. Meteoro pode ser qualquer fenômeno atmosférico, como vento, chuva, relâmpago, arco-íris, ou o brilho produzido por um pequeno grão ou uma pedra incandescente, devido ao atrito com o ar, cruzando a atmosfera. Em astronomia, geralmente utilizamos a palavra para nos referirmos a esse último meteoro.

Veja abaixo um quadro com a agenda de algumas chuvas de meteoros conhecidas. Programe-se com antecedência, porque é sempre um belíssimo espetáculo!

Nome da Chuva
Data
Constelação do radiante
Quantidade por hora
Cometa associado
eta Aquáridas*
4-6 maio
Aquário
20
Halley
delta Aquáridas
22 julho –
5 agosto
Aquário
20
?
Oriônidas
20-22 outubro
Órion
25
Halley
Táuridas
20 novem-
20 dezem
Touro
15
Enke
Leônidas*
16-18 novembro
Leão
15
Temple-Tuttle
Gemínidas
12-15 dezembro
Gêmeos
50
Phaeton (asteróide)
Foto de geminídeas em Monument Valley, Estados Unidos da América, em 2007 (Fonte: http://antwrp.gsfc.nasa.gov/apod/ap091212.html; Créditos: Wally Pacholka – AstroPics.com, TWAN – http://www.twanight.org/)

Autor: Leandro L S Guedes

Sou Astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro, faço doutorado no curso de História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia, pela UFRJ, e nesse ano de 2013 estou passando alguns meses na Universidade de Notre Dame, EUA. Tenho interesses em: Astronomia, História, Epistemologia, Filosofia da Ciência.