O cometa C/2014 W3, mais conhecido por um sobrenome de seu descobridor, Lovejoy, tem posado para os observadores do céu neste início de 2015. Descoberto em 2014, esse cometa deve retornar para as proximidades do Sol daqui a oito mil anos, aproximadamente.

Ele estará facilmente visível nos céus até o final de Janeiro (2015) quando, então, seu brilho se tornará muito fraco e as observações mais difíceis. Abaixo está uma imagem mostrando a trajetória do cometa nos dias do final de janeiro.

A maneira mais fácil de encontrá-lo é procurar as Três Maria, na constelação do Órion, e imaginar uma seta passando pela constelação do Touro.

Lovejoy_2015

Trajetória do Lovejoy no final de janeiro de 2015, quando ainda será possível observá-lo. (Crédito: Sky & Telescope)

Abaixo está uma fotografia do Lovejoy obtida por José Carlos Diniz.

Lovejoy fotografado por José Carlos Diniz.

Lovejoy fotografado por José Carlos Diniz.

Essa e outras fotos astronômicas de José C. Diniz podem ser encontradas na página http://www.astrobin.com/users/Diniz/.

Terry Lovejoy vive na Austrália e já descobriu cinco cometas até hoje, inclusive o cometa C/2011 W3 (também conhecido como cometa Lovejoy) que tornou famoso ao mergulhar em uma camada externa do Sol, a coroa, e sobreviver à ela. Dia 15 de dezembro de 2011, às 22h17min, no horário de verão em Brasília, os astrônomos deram tchauzinho para o C/2011 W3, quando ele estava a uma altura de apenas 140 mil quilômetros da superfície solar. Todos esperávamos que ele fosse derreter. Mas, para a grande surpresa de todos, o cometa reapareceu, sobrevivendo à temperatura daquela região. Certamente durante essa passagem pela coroa solar, uma significativa fração de seu núcleo se queimou.